Conversas de Rádio

27 01 2010

Estamos no ar neste exato momento, na Rádio Kaxinawá. A conversa foi gravada no Capacete, dia 21 de Janeiro, com a participação de Mauro Sá, Daniela Labra, Luiza Guimarães, Maria Moreira e Bruno Caracol. Quem quiser escutar, sintonize o seu rádio a pilhas no FM 100.1 (se estiver na baixada fluminense), ou busque o arquivo na categoria de Recentes neste link.





Fotos do Passos em Volta

1 12 2009

Já estão disponíveis as fotos do encontro no Espaço Imaginário, aqui.

Já estão disponiveis também quase todas as apresentações dos coletivos. Um dos objectivos deste blog é criar uma base de dados sobre os coletivos (neste momento, do Rio de Janeiro, mas quem sabe também de outros lugares). Algum coletivo que não tenha sido contactado e que queira publicar informação, pode contactar-nos para jogosdeescuta@gmail.com. Também de entre os coletivos listados alguém tiver mais material que queira publicar, será benvindo.





e agora?

22 11 2009

Oi galera!
Chegamos ao fim do ciclo Jogos de Escuta. Desde o início o nosso objetivo era gerar possibilidades, abrir um campo para que coisas acontecessem. A mesa redonda de ontem preencheu nossas expectativas nesse sentido, trazendo algumas propostas, nomeadamente:

1. Colocado como uma urgência, surgiu a proposta de criarmos um “coletivo dos coletivos”. Existem já algumas redes, como o Coro, mas uma nova articulação parece ter espaço para crescer no Rio de Janeiro. A idéia seria nos juntarmos de novo, em data a definir, agora com vista a gerar esta articulação.

2. Como continuidade ao espaço de reflexão sobre arte e espaço urbano, Maria Lobo sugeriu que apresentássemos um Jogos de Escuta, versando sobre a apresentação recente dos trabalhos dos coletivos, nos Seminários Prourb, na próxima 4a Feira, 10h – 12h, na Faculdade de Arquitectura da UFRJ. A discussão será mais rica quanto mais interessados estiverem presentes.

3. Também por sugestão da Maria Lobo, surgiu a possibilidade da participação dos coletivos no Fórum Urbano Mundial, que acontecerá no ano que vem no Rio de Janeiro.

http://www.unhabitat.org/categories.asp?catid=584

http://www.cidades.gov.br/ministerio-das-cidades/biblioteca/forum-urbano-mundial-5-direito-a-cidade-unindo-o-urbano-dividido/

4. Varias outras inquietações passaram pela mesa: a necessidade de articular com o poder publico, com instituições externas ao poder público, o pensar de formas alternativas de financiamento, o questionamento da duração adequada e da real eficácia dos projetos de intervenção urbana. Estas e outras questões podem ir alimentando a fornalha.

Estamos enviando este email para todos os participantes e todos os que deixaram o seu contato. Estas propostas de continuidade já não pertencem a nós que organizamos o evento, mas aqueles que reconheceram a sua necessidade e aqueles que nelas se reconhecerem. Nesse sentido, se souber de alguém que queira contribuir ativamente para este processo, novas mãos, corações & mentes nunca serão demais, se não estiver interessado em continuar seguindo o processo, também basta avisar que retiraremos o seu email da lista.

Obrigado a todos!
Bruno, Marcelo, Maria, …





Enunciação e Escuta foi um sucesso!

10 11 2009

Ontem à noite aconteceu o segundo encontro dos Jogos de Escuta. Estiveram presentes por volta de 60 pessoas para assistir às apresentações do coletivos Brecha, Rradial, Atrocidades Maravilhosas, File de Peixe, Grupo Py, Grupo Um, Opavivarå, Nuvem, Santa Pelada e Zona Franca (por esta ordem). Graças ao empenho da Santa Pelada (grande Roosivelt!), ainda rolou um churrasco ao fim da noite, dando aos estômagos vazios a recompensa merecida.
Antes do churrasco, a conversa fluiu em volta das cartas, as perguntas nelas escritas foram alimentando várias polémicas. Destaco quatro mais urgentes, houveram mais, seguramente:
1. Coletivo enquanto lugar de encontro / coletivo como estratégia de inserção.

2. O lugar do artista na instuição, pro labori e remuneração do trabalho artístico

3. Mercado artistico vs mercado informal (galeria vs piratão)

4. Intervenção urbana e participação / gentrificação e cooptação.

Em breve iremos postar fotos e arquivos de som do encontro. Quem ficou com aquela ideia na garganta ou com a outra polémica mal resolvida, pode desabafar tudo aqui.

Seguiremos na próxima Segunda, no Espaço Imaginário, às 19h, todas as conversas que ficaram por terminar, com a expectativa que algo de concreto possa surgir entre as pessoas que participarem.
Obrigado a todos os que estiveram presentes!
Bruno Caracol





Novos Áudios e dois textos em Recursos

8 11 2009

Os primeiros fragmentos da conversa no encontro Panoramofônico já foram disponibilizadas na área de Recursos do blog. Os áudios são da fala de Marisa Flórido César (em breve estarão os fragmentos do outros debatedores).

São 5 fragmentos, com pequenos trechos transcritos, palavras-chave sobre o trecho e links para coletivos, artistas e autores citados.

Também confirmamos a presença de Marcia Ferran para a próxima etapa, “Enunciação e Escuta”, na posição de observadora da apresentação dos coletivos. Dois textos estão disponíveis também na seção de Recursos (“Thomas Hirschhorn e o Museu Precário Albinet” e “Friche contra os espaços massificados”).





Datas Confirmadas!

30 10 2009

Depois de algumas complicações logísticas quanto à data do segundo encontro, marcamos o jogo Enunciação e Escuta para Segunda Feira 9 de Novembro, às 19h. Vai acontecer, como planeado, no Barracão Maravilha, na Av. Gomes Freire, 242 Sobrado.

O encontro Passos em Volta mantém-se no dia 16 de Novembro, Segunda Feira, 19h no Espaço Imaginário.





Primeiro encontro aconteceu!

27 10 2009

Na noite de 26 de outubro, no espaço Capacete (na Glória, Rio de Janeiro) aconteceu o primeiro encontro do evento Jogos de Escuta (#1). Debatores e participantes estiveram envolvidos em uma intensa conversa, com muitas discordâncias, até às 22h30.

Foram dois momentos distintos: no princípio da noite, os debatedores Luiz Andrade, seguidos de Mauro Costa e, por fim, Marisa Flórido fizeram falas baseadas nos textos disponibilizados aqui neste ambiente virtual, colocando em pauta o conceito de coletivo, em diferentes esferas. Muitos pontos foram tocados: do legado antropofágico indígena e africano, influenciando os modos específicos do Brasil, passando por questionamentos acerca do que é e como se forma um coletivo, até esboçar idéias gerais sobre este atual momento nas artes visuais, onde o formato “grupal” vem se tornando tão usado e reproduzido.

Na minha visão, achei o debate muito produtivo. Vários participantes estiveram ávidos em discutir e creio que, para um primeiro encontro, foi delineado um campo de interesse em comum que poderá ser aprofundado no próximo encontro, contando com a presença de coletivos de artistas e outros interessados por este campo. Muitos links foram soltos (teóricos e internéticos) e até lá o espaço do blog pode ser usado para continuar o debate.

E aí, pessoal que esteve presencialmente no momento Panoramofônico?
Como foi pra vocês? (Ou ainda, para quem não esteve, o que acharam dos textos?)

Marcelo Wasem